POTENCIAL CRIATIVO x EMPRESAS

POTENCIAL CRIATIVO x EMPRESAS

Sabe-se que as mudanças acontecem sempre numa empresa ou organização, o difícil é fazer com que aconteçam no interior de cada um de nós.

Estamos presos a um sistema conservador de ensino e as empresas nos exigem criatividade para inovar. É quase cômico… se não tivesse o fim trágico dos insucessos profissionais.

As mães educam seus filhos a seguirem regras e mais regras; a sociedade os enquadra dentro de padrões; as pessoas os classificam e as empresas, decodificam todo esse comportamento em aceitabilidade e por fim, cobram resultados criativos.

Como se não bastasse, temos que ter “FOCO” traduzido pela sociedade como o direcionamento das energias numa única finalidade, ou seja, se você quer ser juiz, faça Direito e estude somente os livros e códigos do Direito; se quiser ser médico, foque na medicina, seja ótimo em anatomia, conheça o corpo humano.

Cadê a parte do comportamento criativo? Quem nos ensinará a ter fluidez?

É necessário um reestruturamento na educação, é preciso ser educado e treinado a pensar livre de antigos paradigmas. Seria ótimo que um futuro médico conhecesse a pirâmide de Maslow, ou os pensamentos e teorias do filósofo Gilles Lipovetsky. Porém, pouco interessa para essa medicina a teoria da hipermodernidade.

Enquanto houver doações de títulos patológicos como: TDA (transtorno de Déficit de Atenção, Hiperatividade, TOC(transtorno obsessivo compulsivo), não haverá espaço para pessoas criativas.

      Como criar o novo repetindo ensinamentos velhos?

      Resultados diferentes, necessitam de ações, comportamentos e ensinamentos diferentes.

      Inovar é criar algo novo, para isso é necessário ter pensamentos novos, falar do que não foi falado, escrever o que não lemos, adentrar no desconforto do desconhecido.

     A sociedade exige um perfil comportamental padronizado, enquanto necessita de inovação.

     Recebemos um capital intelectual pré-moldado na adolescência, nossa rotina é semelhante aos outros indivíduos da mesma idade e pouca ou nenhuma liberdade de decidir o que estudar e/ou quando estudar.

Precisamos libertar a criatividade através do treinamento de habilidades emocionais, através do treinamento diário da fluidez criativa e através da expansão intelectual em diversas áreas.

Para ser criativo é preciso desfocar, é preciso quebrar os paradigmas que nos separam das possibilidades.

Criatividade é a arte de superar o medo de infringir regras, alcançar o potencial do imaginário, realizar e descobrir o limite do novo. Enfim, é comemorar a obsolescência com novas descobertas

Os comentários estão encerrados.